Os sete Eco-cromos – por João Paquete

Discussões sobre ambiente: os 7 cromos!

As alterações climáticas e a sustentabilidade são talvez os próximos grandes desafios da humanidade. É neste momento inegável.

Nos últimos anos, graças a activistas como Greta Thunberg (da qual sou apoiante), bem como a cobertura mediática dos incendios na Amazónia, estes temas tem ganho bastante relevância e gerado agitação nas redes sociais.

Estando presente nos principais grupos, tenho testemunhado alguns perfis e esterótipos de pessoas que confesso que me geram algum nível de apreensão/irritação.

Dou aqui a minha visão sobre os mesmos. Os 7 cromos.

Não me estou a excluir de possuir algumas destas características (ser também um cromo) e estou certo que todos nós as manifestamos em determinada ocasiões. No entanto acho que devemos combatê-las. Afinal é o futuro da habitabilidade no nosso planeta A que está em jogo. Há sempre lugar para a autocrítica !

  1. “O postador compulsivo”

Esta pessoa partilha sem filtro qualquer artigo avulso que encontra na net. Não faz a mínima reflexão sobre a mesma nem questiona a fonte de publicação. Muitas vezes lê apenas o título da publicação. Se perguntarmos quais as suas acções concretas e pessoais a nível de sustentabilidade obtemos típicamente respostas evasivas do tipo “já partilhei” ou “não existem condições” ou “estes políticos não dão alternativas”.

  1. “O já faço qualquer coisinha”

Esta pessoa esgota demais os recursos e esvai o planeta como qualquer um de nós. Mas diz sempre que já meteu a garrafa de plástico no contentor amarelo, portanto lavou as mãos e nada lhe há a apontar.

  1. “O TecnoUtópico”

Esta personagem acha que se resolve tudo amanhã com fusão a frio ou com máquinas chupadoras de CO2 que estão prontas amanhã de preferência. “O hidrogénio é a solução para os transportes”. Está tudo bem portanto. O problema é que já se fala nestas tecnologias miragem do hidrogénio há mais de 50 anos e nada surge de concreto. Até lá o planeta vai derretendo.

  1. “O avestruz”

Neste perfil nada se passa para além das 4 paredes da sua casinha. Tornados e cheias são lá para as Américas e nunca vão cá chegar. Secas são lá para as Africas… No seu ponto de vista a intensidade de uma desgraça é inversamente proporcional a distancia a qual ocorre de nós.

  1. “O Terra queimada”

Na visão desta pessoa já está tudo lixado. Acha que nada há a fazer senão queimar os últimos cartuchos. “Embora lá comer as últimas lagostas antes que acabem”. Postura porreira para as próximas gerações…

  1. “O Whataboutista”

Este perfil desvia constantemente o tema concreto para outros que nada têm a ver para justificar a inação no primeiro. Por exemplo quando se fala de excesso de emissões da agropecuária vem falar do excesso de emissões da aviação em que nada se faz, portanto não vale a pena. “Então e o aviões ? ah ?”, “Então e o cimento ? ah ?”
Na realidade devemos atacar o problema global em todas as frentes e não justificar a inacção em relação ao problema A com a existencia do problema B.

  1. “O radical anti-tudo”

Correspondem aos ambientalistas mais fanáticos que por vezes não tomam sequer banho. Estas pessoas não dão qualquer alternativa nem solução sem comer apenas folhas de alface e percevejos. São contra qualquer forma de viver artificial que não seja em consonancia com a natureza. Esquecem que é difícil convencer as pessoas a voltar a idade média.
Estranhamente usam tecnologias do séc XXI como smartfones e internet.

Façam o exercício e vejam em qual se encaixam mais. Ou então se encontram novos !

Em conclusão penso que há neste momento tecnologia actual para poder mudar tudo em pouco tempo. Falta atitude dos políticos, decisores, publico em geral para sairem da sua zona de conforto. Resta lutar todos os dias para mudar, não cair num destes estereotipos, não desistir nunca. Como sempre, devemo-lo aos nossos filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *